4 de janeiro de 2011

Fico impressionada como algumas pessoas são frias e desumanas. Como uma mãe consegue matar ou pôr em risco uma criaturinha tão pequena e indefesa que saiu de dentro dela??? São tantos casos bizarros que é difícil crer. Há algumas semanas foi a mãe que jogou o bebê do outro lado do muro, dentro de uma sacola, aqui no Brasil. Que horror. Entendo que há circunstâncias envolvidas, que há todo um ambiente que a levou a fazer isso, etc, etc. Mas não dá.

Hoje, ao ler o jornal, mais uma. Dessa vez, nas Filipinas. Quando li a notícia que haviam encontrado um bebê morto em um avião chegando em Manila, logo pensei: "aposto que a procedência é do Emirados Árabes ou daquela área por ali", enquanto clicava para saber detalhes. BINGO! O avião era da Etihad Airways, cia. aérea de Abu Dhabi. É o segundo caso noticiado em menos de um ano, fora aqueles que não aparecem na mídia.

Como já disse algumas vezes, as leis dos países muçulmanos em geral não permitem que mulheres solteiras tenham relações sexuais (= só casando!); muito menos, engravidar. Se descobrirem, haverá deportação. E esse é o maior medo das milhares de filipinas que vão para os Emirados (Qatar, etc), tentar a vida. E é por isso que tantos abortos acontencem...Triste!

4 comentários:

Flovi disse...

Triste mesmo.

♀♥Kiara ♥♀ disse...

Chocada e triste com isso!

Não sabia que era assim, proibido ter filhos solteira! Aqui no Brasil é tão comum! Até mesmo com produção independente!

É complicado mais ainda porque existem (diversos) meios de prevenção! Nesses lugares não vendem camisinhas ou pílulas??!

Manddy G. disse...

Triste, mas verdade.
Uma vez, meu marido comentou que uma crew estava grávida e não sabia (tem até um programa na tv paga sobre isso), só descobriu quando estava em outro país a trabalho.
Advinha como? Estava cansada demais, se sentiu mal por uns dias e dp do voo, resolveu descansar. Só que ela entrou em trabalho de parto!!! Teve um baby e era solteira.
Em outras palavras, não pode voltar para Dubai e mto menos pensar em entrar no avião como comissária! Teve que ficar por lá.
Não sei dizer como acabou, mas o povo que trabalha na cia (até quem não conheceu pessoalmente) ajudou ela com depósitos bancários para que pudesse, pelo menos, comprar um ticket pro país de origem dela.
Triste.. triste demais!

Bjinhuss,
Manddy
http://www.tourdubaiguide.blogspot.com

Georgia disse...

Oi Ju, tudo bem?

Senti saudades e vim te ver.

Esse mundo tem muitas histórias tristes. Penso que tudo isso popderia ser evitado se o país nao dominasse a vida das pessoas. Por que que só se pensa na mulher? E o homem, nao carrega o peso de ter feito um filho numa mulher? Nao julgo as mulheres que chegaram a esse ponto do desespero. Eu penso mais na frente: porque alguns homens que dirigem esse país nunca pensam na conseqüencia de uma lei dessas tao castradora.

Quem tem culpa? Ela, que num ato de amor e prazer engravidou? Ou a lei castradora?

Bjao