24 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL!!!!!

X
Queria desejar um Feliz Natal para vocês!!!

Muita paz, harmonia e felicidade!

E um 2010 repleto de alegria, força, amor e esperança de dias melhores!

***

ps.: Sobre o post anterior, no qual eu me questionava se devemos fazer o bem sem olhar a quem sempre, cheguei a algumas conclusões. Devemos fazer o que nos faz bem. Se o fato de ajudar, mesmo sem retribuição, nos faz bem, então VAMOS AJUDAR! Não importa se o outro não reconhece, não retribui, ou não merece.
.
Entretanto, se continuar ajudando essa pessoa mal-agradecida nos deixa mal, nos atinge, devemos parar.
.
Outra conclusão que cheguei é realmente o mundo dá voltas...Essa pessoa que não te ajuda quando pode hoje fatalmente vai precisar da sua ajuda amanhã. Como são as coisas, né? Então, no final das contas, o universo se encarrega de “dar o troco”.
.
Beijos, Ju.

21 de dezembro de 2009

Fazer o bem sem olhar a quem...sempre?


Faltam apenas 4 dias para o Natal. E, já entrando no clima natalino, é que entra a minha pergunta: devemos sempre fazer o bem, sem olhar a quem, sem esperar retribuição?
.
Não estou dizendo que devemos fazer o mal, claro que não. Porém, às vezes temos a chance de fazer o bem para uma pessoa e não o fazemos, por falta de vontade ou por por achar que aquela pessoa não merece; enfim, por uma série de motivos, não fazemos. É assim que deve ser, cada um por si?
.
Essa pergunta anda martelando minha cabeça ultimamente e vou explicar o porquê. Eu me considero uma pessoa que faz o bem para as pessoas, sem olhar a quem e sem segundas intenções (meu marido, que é a pessoa mais sincera que conheço, concordou comigo...rsrs).
.
Então, estou sempre tentando ajudar, na medida do possível, claro. Esse blog já é um sinal disso. Respondo vários emails por mês, alguns deles me exigem pesquisa e mais de uma hora de dedicação...Enfim, não vou ficar aqui listando minhas qualidades (rs), mas o fato é que no geral eu ajudo as pessoas e faço isso pelo simples prazer de ajudar.
.
Tá, e daí? E daí que essas mesmas pessoas que eu ajudo, quando tem oportunidade de fazer o mesmo, não fazem. Elas não são obrigadas, ok. Mas depois disso acontecer repetidas vezes começo a me perguntar se EU devo continuar ajudando tais pessoas. Devo?
.
Sei que devemos fazer o bem sem esperar retribuição, tá certo. Mas continuar ajudando uma pessoa que não me ajudou quando podia me incomoda! Ainda preciso evoluir muito espiritualmente para chegar a conclusão de que esse comportamento é aceitável... e, depois disso, continuar ajudando essa mesma pessoa. Como sou meio bobona, eu continuo ajudando mesmo assim, mas não vou dizer que me sinto totalmente confortável.
.
Imagino que esse tipo de situação tenda a ocorrer ainda mais aqui, onde existem muitas relações baseadas em interesse (de todos os tipos); impressionante. Tolera-se uma, duas; na vigésima, começo a me questionar.
.
O que vocês acham? Também se sentem iludidos quando isso acontece com vocês ou já estão num nível de desenvolvimento superior ao meu e aceitam super bem?
.
Update: minhas conclusões neste post.

20 de dezembro de 2009

Estudar em Dubai (parte 2)

Então, continuando...
..
Metade da minha turma é composta por locais; a outra metade é dividida: árabes, pessoas do Cazaquistão, indianos e outros. Não tenho conhecimento de NENHUM brasileiro estudando lá.

Diferente do maioria das faculdades do Brasil, as aulas não tem chamada! Isso é bacana, pois deixa o aluno mais livre.
.
Toda matéria tem, no mínimo, duas provas e um trabalho. Esse trabalho tem que ser submetido por meio de um programa chamado "Turn it in". O conceito é muito bacana e acho que faria sucesso no Brasil (se é que já não existe): o programa compara o trabalho submetido com todo o conteúdo da internet e também com o próprio banco de dados. Ou seja, ele identifica os plágios quase que instantaneamente e indica uma porcentagem. Se o trabalho tiver mais de 20%, o aluno tem que reescrever para tentar baixar esse número.
.
É engraçado como as pessoas tem curiosidade com relação ao Brasil. Outro dia uma aluna comentou durante a aula que achava que deveria ter mais integração entre os alunos, pois seria interessante conhecer mais sobre outras culturas, por exemplo, sobre o Brasil. Achei curioso, pois só eu era brasileira. Ou seja, ela queria interagir comigo. No final da aula veio me perguntar como se pronunciava "Bien estar". Eu disse e expliquei para ela que não falamos espanhol e sim português (ao contrário do que todo mundo acha) e ela ficou super satisfeita.

Depois que as pessoas descobrem de onde sou, ficam puxando papo, tentando saber mais sobre a cultura, ou nem que seja para falar: "Brazil? Ronallldo!!!!"...rsrs.
.
Bjs, Ju.

16 de dezembro de 2009

Estudar em Dubai

,,,

Queria contar para vocês algumas coisas sobre o ensino em Dubai, já que estou estudando aqui. Desde o procedimento para entrar até fatos curiosos do cotidiano.
.
Então, resolvi fazer escrever 2 de posts sobre esse assunto; este é o primeiro.

Minha faculdade fica no Knowledge Village (KV). É um lugar onde se concentram a maior parte das universidades e cursos de Dubai; isso mesmo, todos ficam num mesmo local, como se fosse um campus "comunitário". E lá dentro tem uma praça de alimentação, igual a de um shopping. Essa foto que abre o post foi tirada lá. Fora do KV, tem um outro local com algumas universidades também, chamado Dubai International Academic City (DIAC).

Para fazer um curso, é preciso passar por uma série de burocracias. Por ex., apresentar documentos escolares do Brasil (diploma e histórico da faculdade), devidamente carimbados e certificados.
.
Além desses documentos, é preciso fazer uma prova de avaliação de inglês (IELTS ou TOEFL, depende da faculdade; muitas aceitam os dois). A nota mínima requerida vai depender do curso e da faculdade escolhida. Ah, tem umas cursos que pedem para o aluno prestar o GMAT (uma provinha de matemática e raciocínio lógico em inglês) e alguns outros documentos.
..
Bjs e bom final de semana!

Ju.
ps.: Para ler o a continuação, clique aqui: Estudar em Dubai (parte 2).

13 de dezembro de 2009

Domingo de Chuva em Dubai!

xx
Oi, pessoal...Muito sumida, eu sei. Mas vim aqui rapidamente para falar que está chovendo em Dubai!!! Aquele tempinho nublado, frio e com chuvas, há 4 dias. Hoje choveu o dia TODO e várias partes da cidade ficaram alagadas (de leve).

E você se pergunta "Tá, e daí?" E daí que em Dubai praticamente não chove NUNCA! Os dias aqui sempre estão ensolarados, lindos e perfeitos...o lado bacana é que é um ótimo "espanta tristeza", ok. Mas confesso que estava sentido falta da chuvinha!

Oba!!!!! :)

Ps.: Ok, tá certo que quando chove aqui as coisas ficam um pouco caóticas. Choveu um pouquinho, alaga tudo; as pessoas não sabem dirigir com chuva, então sempre acontecem acidentes. Hoje mesmo peguei um táxi à tarde e o motorista dirigiu super rápido na chuva, com alto risco de deslizar ou algo do tipo. Enfim...

Prometo que volto em breves com posts bacanas!!!

Bjs, Ju.

1 de dezembro de 2009

Independência dos Emirados Árabes (UAE National Day)

D
National Day logo (Gulf News)

Amanhã, dia 2 de dezembro, os Emirados Árabes Unidos comemoram o National Day, dia em que completarão 38 anos de união que ocorreu em 1971.
.
Foi mais ou menos assim que tudo aconteceu: no ano de 1967, os ingleses decidiram que iriam sair do Oriente Médio, avisando aos Estados Truciais (Trucial Coast, como eram denominados os Emirados antes da independência) que sua partida tinha data marcada: 1971. Por incrível que pareça, a decisão não foi bem aceita pelos árabes, que se sentiram meio que abandonados.
.
Vendo que o Governo Britânico não voltaria atrás, os líderes de Abu Dhabi (Sheikh Zayed) e de Dubai (Sheikh Rashid) marcaram um encontro e decidiram formar uma união para, conjuntamente, definir questões estratégicas como política, defesa e relações exteriores. Inicialmente com nove participantes, o grupo se reuniu diversas vezes para delinear as diretrizes da nova nação a ser formada. No meio do caminho, houve duas desistências: Bahrein e Qatar.
.
Assim, em novembro de 1971, seis emirados assinaram uma constituição provisória que foi utilizada para a proclamação da independência (com exceção de Ras Al Khaimah que somente entrou para o grupo em fevereiro do ano seguinte).

ps.: É a primeira vez que passo esse feriado aqui, mas me disseram que tem vários eventos comemorativos e que é muito comum as pessoas enfeitarem seus carros com as cores da bandeira e coisas similares, como demonstrado nas fotos abaixo (peguei essas fotos no Gulf News; de acordo com o jornal, são desse ano).




Bjs, Ju.
.
Fonte (informações): TEN Guide & Time Our Dubai (Guia Estadão).
Fonte (fotos): Gulf News.

29 de novembro de 2009

Sobre a dívida de Dubai

x
Mais uma vez Dubai volta a ser o centro das atenções; nós últimos três dias muito tem sido dito sobre Dubai em muitos jornais e na TV internacional; algo envolvendo a dívida do emirado que acarretou uma tensão no mercado e, consequentemente, declínio nas bolsas de valores.

Não quero e não vou opinar sobre o ocorrido, mas pensei em explicar mais ou menos, em termos simples, o que aconteceu para quem ainda não tiver por dentro e quiser entender.

Tudo começou com uma empresa com sede em Dubai chamada Dubai World (DW). A DW é uma holding (= sociedade cujo principal objetivo é controlar outras sociedades) estatal que atua em vários setores: transporte e logística, dique secos e setor naval, desenvolvimento urbano e serviços financeiros.
.
Dentre as empresas da DW, estão o DP World (um dos maiores operadores de portos do mundo) e a Nakheel (responsável pela construção das Palmeiras, do "The World" e vários outros empreendimentos em Dubai).

Pois bem, em termos muito simples: a referida holding estava precisando de dinheiro e, por esse motivo, emitiu títulos internacionalmente (títulos de dívida que são comprados por investidores em troca de alguma remuneração) no valor total de US$59 bilhões, que seriam pagos em parcelas gradativas de tempos em tempos.

No último dia 25 (quarta), na véspera do feriado aqui em Dubai (que vai até dia 6 de Dezembro para o setor público), o Governo anunciou que iria solicitar um prazo adicional de seis meses para o pagamento de uma parcela da dívida que vence dia 15 de Dezembro no valor de US$ 3.5 bilhões. Foi anunciado também que a empresa passaria por uma reestruturação financeira coordenada pela Delloite.

Poxa, se o Governo apenas pediu uma prorrogação de uma pequena parcela da dívida de Dubai, porque tanta confusão e medo? Bom, o problema é que, algumas vezes, onde há fumaça há fogo... O medo é de que o Governo não tenha como pagar a totalidade de suas dívidas. Isso poria em risco os credores: imagina, ficar sem receber alguns bilhões de dólares...vai fazer falta, né?
.
Ninguém sabe ao certo quem são esses credores, mas parece que a maior parte do débito de Dubai foi comprada por bancos como, por exemplo, HSBC e Standard Chartered. Além disso, alguns temem que a notícia comprometa a recuperação da crise causada pelo boom imobiliário nos EUA, iniciada pelo pedido de falência do Lehman Brothers em 2008.

Tecnicamente, quando um país suspende o pagamento de suas dívidas externas, dá-se o nome de moratória. Até hoje, a maior moratória da história econômica mundial foi da Argentina, decretada em 24/12/2001, que causou a suspensão do pagamento de todos os instrumentos de débito (na época equivalente a US$132 billiões). Até o momento não é o caso de Dubai.

Uma das maiores esperanças é que o primo rico, Abu Dhabi, ajude Dubai a "sair dessa". Como o anúncio foi feito na véspera de feriados (aqui e nos EUA), os analistas aguardam o início da semana para ver como será a reação dos mercados (=amanhã). Veremos!
.
ps.: De acordo com a impresa local, a reação dos mercados ao anúncio da DW foi exagerado.
.
Abraços, Ju.

11 de novembro de 2009

Aproveitando Dubai

x Paul - The Walk - JBR .

.
Agora que a temperatura baixou, Dubai começa a ficar muito agradável. Ainda não estamos no clima ideal (friozinho, que chega em Dezembro) mas, mesmo assim, aquele calorzão já foi :)
.
O céu volta a ficar azul novamente, pois no verão ele fica BRANCO. As ruas ficam mais floridas e as cores mais nítidas (vide foto ao lado; adoro fotografia, já perceberam?).
.
E, com isso, as pessoas saem mais de casa... Um hábito muito comum por aqui é ir a restaurantes, seja para tomar café, almoçar ou jantar.
.
.
.
Um dos locais prediletos de muitos é o "The Walk", no JBR; é um calçadão com uns dois quilômetros, a 200m da praia, com vários restaurantes (e algumas lojas) que ficam lotados, especialmente nas noites do final de semana.
.
Realmente, é um lugar muito agradável, com várias opções, para todos os gostos (foto ao lado: The Walk - JBR; foto abaixo: JBR ao anoitecer).
.
.
.
.
.
.
.
.
Essa foto que abre o post, por exemplo, eu tirei no The Walk. Esse Paul vive lotado, a semana toda! Reparem a fila na porta!
.
.
.
.
.
Um outro lugar que fui outro dia que achei muito bacana também foi o Souk Al Bahar, do lado do Dubai Mall. Lá tem o espetáculo das fontes, vale muito à pena conferir (eu achei LINDO!). De 30 em 30 min (não tenho certeza quanto ao tempo exato), eles fazem uma apresentação; cada uma tem movimentos e músicas diferentes da anterior.
.
Filmei um pedacinho de dois shows para mostrar para vocês:
.

video video

ps.: Os vídeos tinham mais de 1 min, mas tive que reduzir para conseguir disponibilizá-lo.

.
A praia está voltando a ficar cheia. Como a temperatura da água diminuiu (antes estava impossível ficar na água mais de 2 minutos, de tão quente), o pessoal está marcando presença.
.
Está até mais parecida com a Praia de Ipanema; só faltou a skolzinha a R$3,00 (será?), o Mate Leão no galão e o biscoito Globo...Não podemos ter tudo, né? :)
.



Essas fotos eu tirei na praia em frente ao JBR e também na praia do Kitesurf (à esquerda). Reparem na cor da água!!!
.
Abs, Ju.

21 de outubro de 2009

Dança do Ventre em Dubai

x
Sumida, eu sei. Muitas coisas para fazer, muito atolada! Demorei, mas cheguei com novidades! :)

Dança do ventre, isso mesmo! Foi assim: uma amiga brasileira, a Mi, fofíssima e super gente boa, dava aulas de dança no Brasil (ela tinha uma academia de dança em SP); veio para Dubai no meio do ano passado para fazer umas apresentações de dança e, no final do ano, veio para ficar!
.
Conversando, ela deu a idéia de eu e outra brasileira fazermos... e nós topamos! Há um mês começamos a ter aulas 2 vezes por semana na casa da Mi; estou AMANDO!!! É muito legal!
.
Os movimentos não são fáceis e exigem um certo esforço fisíco (nas primeiras aulas eu fiquei TODA doída). Mas é muito gostoso e envolve muitas coisas: dança, música, relaxamento, consciência corporal, trabalho muscular, resistência, respiração, etc...

Enfim, estou gostando muito! Quem quiser se aventurar, seguem abaixo os contatos da Mirlene, minha professora:
.
.
Bellydance in Dubai:
Mirlene Souza (lessons, workshops, shows)
Mobile: 050 8564987
As aulas são no Greens.
.
Beijo grande! Ju.

8 de outubro de 2009

Ramadã (parte II)

.
Falando agora sobre alguns detalhes que acontecem na prática durante o Ramadã... (obs.: vou misturar os tempos verbais, colocando uns fatos no passado e outros no presente, para facilitar a minha vida!)

:::Comida:::

Durante o Ramadã, entre o nascer e o por do sol, nenhum resturante pode servir comida (em regra); a maioria fica fechada e, os poucos que abrem, vendem somente para viagem. As exceções são alguns restaurantes de hotéis; no Mall of Emirates, um dos shoppings mais populares aqui, tinham uns dois restaurantes abertos, pertencentes a um hotel que fica dentro do shopping. São colocadas cortinas para que ninguém veja as pessoas comendo lá dentro.

A única coisa chata foi que não dava para sair para almoçar na rua; somente jantar. Se por acaso você fosse passear às 10h da manhã e demorasse mais do que previsto, passava fome.

:::Bebidas e chicletes:::

Além disso, não podemos beber nem mascar chicletes na rua. O detalhe é que aqui é muito quente em agosto/setembro. Então, trazíamos garrafinhas de água na bolsa e, quando a sede batia, íamos direto para o banheiro e nos trancávamos (pois ninguém pode ver) para beber água. Situação, no mínimo, estranha. Não?

:::Consequências:::

Beber ou comer durante o Ramadã pode acarretar em multas e até em prisão. Nesse Ramadã, três pessoas foram presas. De acordo com o jornal local Gulf News, a polícia só os prendeu porque eles insistiram em continuar com a conduta contrária a lei (no caso, comer/beber em público).
.
De acordo com a matéria, a polícia é, geralmente, muito compreensiva, entendendo que aqui vivem pessoas de várias partes do mundo, de diversas culturas. Um dos detidos era europeu e foi pego consumindo alcóol e comendo durante o jejum. Os outros dois eram árabes (muçulmanos) que estavam comendo em público; nesse caso, a polícia foi menos maleável, pois eles conhecem muito bem as regras, a cultura e a religião. Pelo menos, deveriam conhecer.
.
De acordo com a lei referente ao assunto, a pena para os crimes contra as crenças e rituais religiosos é prisão por um período não superior a um mês ou multa no valor de até AED2,000 (R$1.000).

:::Bebidas Alcoolicas:::

Durante o Ramadã, é proibido vender bebida alcóolica antes das 19h30. Muitos locais que vendem alcool fecharam durante o Ramadã, mas era possível encontrar alguns servindo após 19h30.

:::Limites:::

Dentro da sua propriedade você pode comer e beber; DESDE que respeite aquele que estiver jejuando. Por ex., pode fazer um churrasco em casa, desde que a fumaça não se espalhe para a casa do vizinho que está sem comer; além disso, nada de música alta ou muito barulho.

::Roupas:::

.As roupas devem ser mais comportadas durante o Ramadã (na verdade, deveriam ser assim o ano todo, mas os expatriados não respeitam muito isso e andam muito...à vontade, vamos dizer).

Durante esse Ramadã, uma amiga pegou um táxi; estava de calça comprida e uma blusa de alça. O motorista, muçulmano, bem mais velho, disse para ela, cheio de dedos, que ela não deveria sair assim durante o Ramadã. Que iria atrair muitos olhares e, portanto, muito olho grande e coisas ruins para vida dela; ele disse que estava falando com ela como falaria com uma filha.

:::Curiosidades:::

- O horário de trabalho muda com o Ramadã; muitas empresas liberavam seus funcionários às 15h; exceto as empresas que não tinham empregados muçulmanos pois, nesse caso, não fazia sentido, claro.

- Pelo que eu soube, o povo local fazia uma refeição de madrugada, por volta das 4h da manhã, para ter forças para ficar o dia todo sem comer. Após o por do sol, a maioria comia bastante nos Iftars.

- De acordo com uma pesquisa que eu li, no período do Ramadã os muçulmanos comem mais do que nos outros 11 meses; por isso, há altas taxas de ganho de peso.


:::Minha opinião:::

Eu achei que seria mais difícil do que realmente foi; não nos afeta tanto. Basicamente, evitamos sair durante o dia; se tívessemos que sair, comíamos antes e levávamos água na bolsa, naquele esquema. Apesar disso, um mês já tá de bom tamanho!!! Sentia falta de ver gente nas ruas...

Ah, um ponto a destacar: acredito que essa época não seja das melhores para o um turista visitar Dubai... Se for possível, venha antes ou depois ;)

Bjos e bom finde - para quem está em Dubai hoje é "sexta"!!!!

29 de setembro de 2009

Ramadã* (parte I)

XXX
O Ramadã terminou no domingo, dia 20! Não consegui falar sobre ele antes dele terminar, mas vou falar agora (antes tarde do que nunca, certo?).
.
Um pouco de teoria

O Ramadã (ramadan em inglês, رمضان‎ em árabe) é o nono mês do calendário islâmico, durante o qual os primeiros versos do Alcorão foram revelados para o profeta Mohammed (Maomé em português), durante um período de meditação e isolamento um uma caverna perto de Meca. Nesse período, os muçulmanos devem jejuar a partir do nascer do sol até o por do sol.
.
Durante esse mês sagrado (geralmente entre agosto e setembro, dependendo da lua), além de jejuar, os muçulmanos não devem beber nenhum tipo de líquido, fumar, mascar chiclete ou ter relações. É um mês de espiritualização, no qual os muçulmanos devem perdoar, doar, tentar entender a dor do próximo; e, claro, rezar mais. Muitos passam boa parte do dia lendo o Alcorão.
.
O objetivo é limpar a alma; os muçulmanos devem procurar, ao máximo, seguir os ensinamentos do Islamismo, afastando os pensamentos mundanos; e o jejum é uma das formas encontradas para alcançar este objetivo, pois ajuda a exercer o autocontrole, a ser mais disciplinado e, ainda, a ser solidário com aqueles que são menos favorecidos. Portanto, nessa época, atos de generosidade e caridade aumentam consideravelmente.
.
Um outro fato interessante é que os muçulmanos acreditam que os portões do inferno estão fechados durante esse mês, enquanto os portões do céu estão abertos. Além disso, Deus perdoará todos os pecados anteriores daqueles que jejuarem e rezarem com sinceridade durante o mês do Ramadã.

Algumas pessoas não precisam jejuar: crianças, mães que estão amamentando, mulheres que estiverem "naquele" período, as pessoas idosas e aquelas que estiverem muito doentes (dependendo do caso, tais pessoas devem compensar o jejum o fazendo posteriormente ou fazendo doações).

Algumas palavras e expressões são empregadas especificamente durante esse período:
.
Ramadan Kareem: expressão utilizada para desejar felicidades durante o mês do Ramadã. Kareem significa generosidade, caridade em árabe.
Ramadan Murabak: Murabak significa abençoado em árabe. Vi muito essa frase no final do Ramadã.
Maghrib: a quarta reza que marca o por do sol e o fim do jejum.
Iftar: É a refeição que quebra o jejum imediatamente após o por do sol. Diversos restaurantes ofereciam "Iftar Buffet".
Eid al-Fitr: três dias de celebração que marcam o final do Ramadã (esse ano foram os dias 20, 21 e 22 de setembro). Geralmente, nesse período é concedido aos expatriados 2 dias de folga e 3 dias para o serviço "público". Eu não sabia, mas pude perceber isso na prática: no dia 20 já não havia mais necessidade de fazer o jejum.
.
Bom, agora que eu já falei um pouco sobre a teoria, no próximo post falarei sobre o que acontece na prática! Vou contar como foi para mim vivenciar esse período aqui e as restrições para nós, os expatriados.
.
Bjs, Ju.

* As informações aqui divulgadas foram extraídas da internet e/ou das minhas experiências (e, portanto, são vistas sob a minha perspectiva). Assim, pode ser que haja opiniões diversas da minha ou das fontes usadas por mim.

5 de setembro de 2009

As Cafeterias de Dubai

. (A cafeteria é essa loja verdinha, simpática!)
.
Eu sei, estou devendo um post sobre o Ramadã. Preciso de um pouco mais de tempo para escrever sobre o assunto...espero fazê-lo antes do Ramadã terminar, de preferência!

Bom, enquanto isso, quero falar sobre as Cafeterias de Dubai. Não estou falando de Starbucks, Costa, ou qualquer outro coffee shop importado. Estou referindo-me às cafeterias locais que, na minha humilde opinião, são lugares ótimos para fazer um lanche da tarde ou, em tempos de Ramadã, comer um petisco à noite.

Antes de continuar, tenho uma observação a fazer: preciso avisar que sou o tipo de pessoa que gosta desde um pé sujo a um restaurante mais requintado; resumindo, não tenho (quase nenhuma) frescura.

Para quem ainda não conhece, vou explicar: são locais bem simples, que geralmente ficam ao lado das mesquitas. Uma lojinha com algumas cadeiras e mesas do lado de fora, sem ar condicionado (essa "organização" varia, dependendo da cafeteria). O pedido pode ser servido nas mesas, dentro do carro ou delivery.

Posso dizer que lá tomei o suco de melancia mais barato e mais gostoso de Dubai! Por AED10, é possível beber um copo enorrrrme de um suco delicioso (o pequeno custa AED5). Tem muitos tipos de suco (todos excelentes), vários milk-shakes de frutas MUITO BONS e uma variedade de comidinhas, incluindo sanduíches bem gostosinhos, especialmente se você considerar o preço cobrado. Um sanduíche de hammour com batata frita custa AED7; tá certo, a batata é meio mais ou menos, mas eu gosto do sanduba :)

Então, repetindo: as comidinhas são "legalzinhas", então não vá esperando um banquete chique como se você estivesse no Burj Al Arab. Sabe aquele podrão da madrugada? Que você paga R$4,50 e acha que caiu SUPER bem?!?! Mas que, se você for analisar, em condições normais, ele nem é essa maravilha toda. Então...pense nisso.

Ah, lá também podemos encontrar a boa e velha "Shawarma". Acho que nunca falei sobre ela aqui: é um sanduíche típico muito gostoso (eu amo). Eles colocam frango e/ou carneiro em um espeto gigante que fica girando sem parar (como se fosse um frango de padaria, só que em pé).
.
Tiram pequenas lascas para fazer o sanduíche que leva: pão árabe, uma pasta feita com iogurte, verduras, batata frita (alguns não colocam) e a carne. Fazem um rolinho e está pronto. Lá custa AED3.50.
.
Nunca provei a shawarma de lá mas, aproveitando o assunto, a mais gostosa que já comi foi em uma lanchonete no IBN Batuta (ao lado esquerdo do Mc Donalds). Muito boa, recomendo!!! Custa AED5.

ps.: Para quem não for "fresco" e quiser conferir, é só procurar a cafeteria mais próxima. Costumo ir em uma que fica perto do Dubai College (ao lado do Knowledge Village). Indo em direção ao Souk Madinah, passou a rua do Dubai College, vira à próxima à direita e depois à direita novamente. Fica em frente a um lugar que vende plantas (vide foto).

Bjs, Ju.

29 de agosto de 2009

Voltando para casa II

Só para dizer que minha mala chegou!!!! :) No dia seguinte, como prometido, eles me ligaram e vieram entregar aqui em casa. Muito bom, nem acreditei!
.
Ah, também queria explicar porque coloquei um socador de carne na mala de mão...rs. Foi o seguinte: como sempre, deixei para arrumar as coisas em cima da hora. Coloquei todos os utensílios de cozinha que comprei em um saco e enfiei dentro da mochila. Nem lembrei que tinha um socador dentro. Coisas da vida.
.
Ainda estou me recuperando da viagem, diferença de fuso, lavagem de roupa suja, etc. Assim que terminar de por tudo em ordem, volto para falar sobre o Ramadã e, quem sabe, sobre o drama do álbum de casamento.
.
Bjs e boa semana (amanhã já começa para nós).
Ju.

26 de agosto de 2009

Voltando para casa



É meio estranho dizer que voltar para casa seja voltar para Dubai; mas é verdade. Apesar de eu ser brasileira, amar meu país, sentir muitas saudades de todos, no momento Dubai é minha casa e confesso que senti falta de estar no meu espaço.

Depois de muitos encontros, almoços, abraços, chopps, é hora de voltar. Viajei pela Air France, fazendo conexão em Paris (o voo da Emirates estava lotado). Nosssaaaaa, que viagem mais cansativa: 11h RJ-Paris + 5 horas mofando no aeroporto + 6h40 Paris-Dubai. E, para deixar a aventura ainda mais "interessante", alguns outros detalhes:.

-Ambos os voos LOTADOS, sem nem um lugarzinho vazio para se esticar de vez em quando;
.
-Chegando em Paris, consegui perder meu passaporte no avião por 20 minutos (desesperadores, por sinal). Pensei: só eu consigo fazer isso. Quando a aeronave pousou e todos já estavam de pé, aguardando aquela eternidade para a porta abrir, foi dito que deveríamos apresentar o passaporte na saída do avião. Fui pegá-lo na bolsa (cheiaaaa de coisa); com ele nas mãos, resolvi checar meu bilhete para Dubai. Nesse meio tempo, o passaporte SUMIU! Procurei tudo: virei a bolsa de cabeça para baixo, olhei na poltrona, no chão... Comecei a suar frio, já pensando nas consequências desse ato imbecil. Na verdade, que ato? Não fiz nada. Ele estava ali e, de repente, desapareceu. Uma onda de calor me atingiu, fui tirando pashmina, casaco, tudo... Fiquei esperando o povo descer, para procurar com mais "calma". Quando já estava mais vazio, chamei o comissário (que não falava português, óbvio). Começamos a procurar e eu, a essa altura, tremendo, CLARO, e quase chorando. Eu estava sentada na poltrona do corredor, no meio do avião. Um pouco mais a frente, nas poltronas do canto, tinham 2 adolescentes brasileiros que ainda estavam no avião. Eles nos perguntaram: "sumiu o passaporte?" Eu disse que sim e eles me entregaram, dizendo que estava 2 poltronas na frente da minha. UFAAAAA!!!! Sei lá como ele foi parar lá, mas é certo que vou ter que dar váriosssss pulos e gritos para São Longuinho!
.
-Passado o susto, começou a maratona para chegar no portão de embarque do próximo voo que, claro, era lá do outro lado do aeroporto, com direito a pegar ônibus e tudo. Até chegar lá, tive que passar por três raios-x: só faltou pedirem para eu tirar a roupa. A pessoa encarregada vasculhou TUDO! Abriu até minha carteira que estava na bolsa. Elogiou minhas havaianas e, para não perder o serviço, reteve meu socador de carne que comprei na loja de R$1,99 (que, aliás, nunca tem nada que custa R$1,99). Poxa, ele era tão inofensivo. Trouxe do Brasil porque aqui todos são muito caros, não valem o custo-benefício; afinal, só preciso dele para dar umas pancadinhas nos bifes de frango...rs
.
- O segundo voo foi bem, sem atrasos. Cheguei em Dubai, tranquilo, pensei: mais 30 min estou em casa. Doce ilusão. Já na esteira, esperando a mala: 10min, 20 min, nada. 30 min depois chegou a primeira mala. Mais 10 min e cadê a outra mala??? Acabaram as malas da esteira e nada da minha mala. Saco, era só o que faltava!!!! Lá vou eu para a fila de reclamações, quase meia-noite, para registrar o sumiço da outra mala. Ah, tranquilo...o que é ficar 30 min na fila esperando para quem já estava viajando há 25h?
.
Quando achei que minha situação era ruim, prestei atenção no cara ao lado: também vindo de uma conexão, ficou sem mala nenhuma e, pior, sem suas chaves da casa, carro, etc., pois estavam na mala. Pior que isso: teve que ouvir piada do cara que recebia a reclamação que, rindo, disse "também, quem é que coloca as chaves de casa na mala???"Até concordo, mas por favor, né?!
.
Isso tudo foi ontem. Fui dormir perto das 2h da manhã e levantei às 7h, tentando descobrir onde eu estava...ahahaha. É verdade, acordei sem saber direito onde estava, engraçado isso. Agora estou aqui, colocando a casa em ordem, escrevendo esse post - tentando não babar aqui no teclado - e aguardando a minha mala. Disseram que ela chegaria hoje aqui em casa. O pior é que dentro da mala estão várias coisas preciosas como, por exemplo, meu álbum de casamento! Nossa, depois do PARTO que foi para conseguir fazer a fotógrafa me entregar, só faltava essa! Mas isso é assunto para outro post...
.
Morais da história: cuidado com conexões da Air France, especialmente quando a bagagem vai direto para o destino final; nunca deixe as chaves ou as coisas mais relevantes na mala que será despachada; nunca viaje com um socador de bifes de frango de alta periculosidade.
.
Vou descansar...Bjs, Ju.

14 de agosto de 2009

Na terrinha

Desculpem o sumiço. Vim passar uns diazinhos de férias no Brasil.

Depois de 8 meses longe da confusão e do calor humano característico da nossa terra, é muito bom voltar... Rever a família, re-encontrar os amigos, comer aquela bela feijoada!

A maioria que já passou mais de 15 dias longe do Brasil, concorda comigo: o nosso país é único. Povo acolhedor, muito simpático; lugares lindos, praia, montanha; não é à toa que os gringos que nos visitam ficam loucos!

A Cidade Maravilhosa continua linda. O interessante é que depois de ficar um tempo fora, a sensibilidade aumenta e começamos a reparar determinadas características, certamente devido às comparações que são feitas com o nosso novo parâmetro.

Alguns exemplos:
- Como as ruas no Rio estão esburacadas, impressionante. Um horror!
- O trânsito está caótico. Insuportável.
- Os brasileiros, ou somente os cariocas talvez, não sei, andam pelas ruas encarando as pessoas, olhando nos olhos. Muito curioso; em Dubai não é assim.
- Como temos ônibus no Rio...Uma maravilha! Dubai está melhorando, mas ainda falta muito para chegar a esse nível.
- Nós somos muito curiosos. Estava andando de ônibus em Botafogo e algo aconteceu na rua. TODOS no ônibus levantaram para averiguar o ocorrido...muito engraçado.
- Muito bom tomar o bom e velho chopp num boteco; delícia!

Vou ficando por aqui.

Beijos, Ju.

1 de agosto de 2009

Emprego em Dubai

Pessoal,

Como andei recebendo muitos emails com perguntas variadas sobre empregos em Dubai, fiz esse post para esclarecer a todos que, infelizmente, NÃO posso ajudar ninguém a arrumar emprego em Dubai, desculpem!

Para "dar uma luz"para aqueles que querem se aventurar nas arábias, seguem abaixo minhas únicas dicas sobre o assunto:

1. Algumas sugestões de sites (pesquisei no Google) que podem ajudar na procura:

http://www.gnads4u.com/jobs (Jornal local)
http://www.bacme.com/index.php
http://www.clarendonparker.com/
http://jobs.theemiratesnetwork.com/
http://jobs.theemiratesnetwork.com/
http://www.kershawleonard.net/

Existem centenas; é só procurar no google.

2. Analisem com cuidado as propostas e certifiquem-se dos benefícios incluídos.
.
3. O custo de vida em Dubai é ALTO, especialmente moradia. Contem com isso.
.
4. Salário de US$1.000 é considerado baixo para morar em Dubai.
.
5. Os salários são altos aqui? Sim, para profissionas qualificados.
.
6. Falar inglês é essencial.
.
7. Para dirigir aqui não vale carteira do Brasil ou internacional; tem que fazer autoescola (no mínimo AED2500).

BOA SORTE!!!

26 de julho de 2009

Efeito Borboleta

xx
Às vezes eu me pego pensando nas coisas da vida. Coisas engraçadas, coincidências inexplicáveis, fatos dignos de história de cinema. Quando vejo um filme que passa algum tipo de mensagem, fico dias pensando naquilo. Um filme que me levou a pensar em muitas questões foi "Efeito Borboleta"; se alguém não viu ainda, deveria ver, pois o conceito é muito legal. Meu pai tinha visto e me indicou, dizendo que era um barato...rs.
.
O filme é baseado na Teoria do Caos; é sobre um jovem que tem o poder de voltar no tempo e mudar pequenas coisas que trazem GRANDES consequências em seu futuro. Tem um tempinho que vi esse filme, mas me lembro que no início o menino é meio nerd, nada popular. Aí ele volta ao seu passado, quando tinha 7 ou 8 anos, não sei. Nessa época, ele sofreu algum tipo de abuso de um homem, seu pai, eu acho, que tinha influência em sua vida adulta. Ao voltar, ele reage e evita que o homem faça mal a ele e a uma amiguinha.

Já no futuro, a situação tinha mudado completamente!!! Ele agora era popular, lindão, namorava a garota mais bonita, etc. Porém, com isso, ele trouxe consequências negativas também...desculpem, mas não me lembro direito quais. Salvo engano, elas envolviam a tal menina que estava com ele. Além da vida dele ter girado 180 graus, a pequena mudança trouxe consequência para terceiros também!

Enfim, o filme é impressionante. Ao meditar sobre ele, fico pensando em algumas coisas que gostaria de voltar atrás e mudar. Alguns pequenos detalhes, sem importância se eu contar aqui, mas que trazem muitas consequências para nossa personalidade, qualidades e defeitos na vida adulta.

Até mesmo depois de adultos escolhemos entre algumas opções e às vezes nos perguntamos: "e se...?". V. recebe uma proposta para um novo emprego, aceita. Gosta muito e não se arrepende. "E se eu não tivesse aceitado, como estaria agora?". Quando o caso é bem sucedido, a pergunta é mais rara; se vc aceita e odeia o novo trabalho, se pergunta "E se eu tivesse ficado?".

Acho que algumas dessas reflexões só nos fazem sofrer de arrependimento. Mas, por outro lado, outras nos fazem enxergar o quanto somos felizes e que, às vezes, vc precisa errar para acertar!
.
ps.: Vi o "Efeito Borboleta 2" e detestei, achei péssimo. Parece que tem um terceiro, mas não vi ainda...

Um bjo, Ju.

21 de julho de 2009

Ser expatriado (em Dubai) é ...

ddd

Sentir saudade e orgulho do nosso Brasil!

Ter a certeza de que os brasileiros são um dos povos mais queridos do mundo.

Detestar quando os grupinhos da mesma nacionalidade ficam falando em suas respectivas línguas na sala de aula. Como só tem uma brasileira - eu -, fico boiando.

Sentir saudades do JN (por mais defeitos que ele possa ter) e ter que se contentar com o Emirates News, CNN, etc etc.

Sentir uma alívio ao se lembrar que aqui NÃO TEM violência, Faustão e Fantástico (os 2 últimos, as derrotas de domingo à noite).

Estar numa praia linda e super tranquila, achando muito legal, mas sentindo falta daquela confusão das praias de Copacabana e Ipanema: "Biscoiiiiiito Globo", “Olha o AAAAAAAAAAbacaxi”, empada praiana e sacolé do Claudinho... Poxa, saudade disso! Aqui não passa NADA. E, no Ramadã, não podemos levar nem uma garrafinha de água.

Descobrir que os amigos que fazemos no exterior se tornam amigos de infância em três encontros; e os amigos de infância se tornam "distantes" em três meses.

Ver miragem daquele choppinho gelado no fim da tarde no Bracarense, com direito a bolinho de bacalhau...humm...

Mergulhar no mar sem medo de voltar e suas coisas não estarem mais lá - não tem preço.

Saber que tudo aqui é passageiro e, a qualquer momento, você pode ter que voltar para "casa".

Não pagar imposto e ainda encher o tanque com R$30.

Por outro lado, saber que a moradia custa, em média, 5x mais do que na sua cidade.

Ficar com vontade de fazer um churrascão com farofa, molho e arroz em pleno verão...

Ouvir as histórias mais secretas das pessoas que você acaba de conhecer: acho que é algum efeito de estar morando fora, sei lá. As pessoas se abrem e falam coisas inacreditáveis na primeira vez que você tem uma conversa com mais de 10 min..heheh.

Ter que engolir uns sapos, pois você não está no seu país.

Descobrir que alguns brasileiros que moram em Dubai são insuportáveis de metidos (geralmente, os brasileiros expatriados se unem e são solidários uns com os outros; aqui, tenho dúvidas...com exceções, claro).

Sentir uma saudade gigante dos seus amigos e parentes nos primeiros meses e, aos poucos, ir se acostumando.

É isso...tem muito mais coisa, mas não consigo lembrar agora...

Bjs, Ju.

13 de julho de 2009

DUBAI: 20° lugar mais caro do mundo para viver

ccc
Uma pesquisa feita pela consultoria Mercer constatou o que todo mundo que mora aqui já sabia: é caro viver em Dubai!!!
.
A "Mercer's Cost of Living survey" analisou 143 cidades e comparou os preços de 200 itens em cada lugar (incluindo moradia, transporte, alimentação, vestuário, itens de utilidade doméstica e lazer). Finalizada em março de 2009, a pesquisa é muito utilizada por multinacionais para determinar os valores de ajuda de custo para moradia concedida aos expatriados.
.
Nova York é usada como parâmetro (= 100 pontos) e às demais cidades são conferidos pontos. Por exemplo, Tokyo, a cidade mais cara do mundo para morar, fez 143.7 pontos.
.
Dubai ficou em 20° em 2009 (2008 era 57°), com 90.1 pontos. A capital, Abu Dhabi, pulou de 65° (2008) para 26° esse ano (86.7 pontos).
.
Os 5 primeiros colocados foram:
1° Tokyo, Japan
2° Osaka, Japan
3° Moscow, Russia
4° Geneva, Switzerland
5° Hong Kong, Hong Kong
.
No Brasil, a Cidade Maravilhosa ficou em 73° e Sampa em 72°.
.
Mais detalhes? Visite o site Mercer's 2009 Cost of Living survey.
.
Bjs, Ju.

8 de julho de 2009

Ainda sobre o Turismo em Dubai

XX

Há dois meses eu escrevi um post sobre "Turismo - O que fazer em Dubai em um dia" (para ler o post, clique aqui). Alguns me escreveram para dizer que adoraram as dicas (obrigada!); outros, que vão passar mais de um dia aqui, me escreveram pedindo mais: o que fazer em Dubai em uma visita mais longa, de 4 ou 5 dias?
.
No post anterior eu já mencionei a maior parte dos pontos turísticos que acho interessantes (até pq quem for fazer tudo que escrevi lá vai precisar de mais de 24h; meu intuito foi dar várias opções). Então, quem quiser dicas, dá uma olhada lá! ;)
.
Resolvi escrever esse post para complementar o anterior; incluir alguns pontos que não citei (e, na medida que eu for lembrando ou conhecendo mais coisas, eu vou incluindo aqui!).
.
Parques aquáticos em Dubai: aqui temos 2 parques.
#Wild Wadi Water Park# - fica entre Burj Al Arab e o Jumeirah Beach Hotel. A entrada custa AED195 para os adultos e AED165 para crianças (abaixo de 1.1m de altura). Para mais detalhes, clique aqui.
.
#Aquaventure# - fica no Atlantis (The Palm). AED200 para os adultos e AED165 para crianças (abaixo de 1.2m). Cool Summer: para aqueles que estão vindo no verão, o Aquaventure lançou uma novidade: está abrindo à noite (20h a 00h), toda quinta-feira. AED175 adults e AED100 crianças. Quer saber mais? Clique aqui. Ainda não conheço nenhum dos dois.
.
Passeio de barco e jantar no Creek: quando vim para Dubai de férias, em dezembro de 2007, fiz esse passeio de barco no Creek (na noite de natal). Foi muito agradável e a comida era ótima!
.
The Walk - Jumeirah Beach Residence (JBR): uma calçada com aproximadamente 2 km de extensão, a 100m da praia, com vários restaurantes e lojas. Muito agradável para um passeio a pé seguido de jantar ou almoço (especialmente no inverno).
.
F1 no Autódromo de Dubai (F1 Style Single Seater): que tal andar num carro de F1?? Por AED875 você pode, lá no Autódromo...Esse programa é a cara dos homens, não? Para maiores informações, é só entrar no site do Autódromo (clique aqui).
.
******************************************************************************************************************************
Dicas gerais
Que roupa levar para Dubai? Se vc vier na época do calor (mai a ago), é bem trazer roupas frescas, tanto para o dia quanto para a noite. Mas não esquece de trazer um casaco, pois TODO LUGAR tem ar condicionado (e, geralmente, no máximo). Se estiver vindo na época mais fria (dez a fev), traz roupa de frio moderado (tipo inverno do RJ), pois bate um ventinho.
.
Bjs, Ju.

7 de julho de 2009

Comida Brasileira em Dubai!!!

xxxx
Para os brasileiros que estão em Dubai, com muitas saudades daquele churrasquinho brasileiro e de uma boa caipirinha, tenho boas notícias!
.
Fiquei sabendo de dois eventos brasileiros em Dubai ("gastrônomicos"); não fui em nenhum deles ainda, mas fica aqui a dica! Se alguém foi (ou for), conta para gente como foi! :)
.
ps.: Os eventos receberam uma pitada de Dubai...então, são meio facadinha! rs.
.
1) FESTA DOS SABORES BRASILEIROS (Festival of Brazilian Flavours)
.
"July is a month of Brazilian flavours in La Parrilla. If you are a fan of Latin American cuisine then join us to enjoy our 'Fiesta dos Sabores Brasileiros' (Festival of Brazilian Flavours). Your evening will be filled with the sounds of Brazil, the perfect accompaniment for our 7-course degustation menu inclusive of 'welcome Caipirinha' and 2 glasses of wine for AED 350 per person.". La Parrilla, at Jumeirah Beach Hotel.
Fonte/maiores informações, clique aqui.
.
2) CHURRASCO BRASILEIRO EM DUBAI (será???)
.
Dubai’s First Brazilian Barbecue Brings Passion to Zaytoun (30 April 2009)
"Zaytoun, the ecclectic all-day dining restaurant of Crowne Plaza Dubai Festival City serves a Brazilian themed berbecue every Wednesday evening.During the ‘Churrasco’ (Portuguese for barbecue), guests will be presented with nine types of grilled cuts of meat on traditional skewers from our team of Passadors (meat waiters), along with hearty South American salads and choice hot Brazilian side dishes. Meats including Asinha (chicken wings), Picanha (top serloin), Entrecote (rib eye) and Carneiro (lamb chops)are prepared in an imported Churrasco grill, and cooked to perfection by our Brazilian chef.
.
The barbecue is served from 7pm to 11:30pm priced AED 185 per person for the meal. The new themed barbecue of Zaytoun restaurant found on level 5 of Crowne Plaza Dubai Festival City promises to deliver an authentic taste of Brazil. For bookings or more information, please contact restaurant reservations on 04 7011128 or email restaurant.reservation@ichdfc.ae."
.
Bjs, Ju.
.
ps.: Fonte da foto que abre o post: site Jumeira Beach Hotel - La Parrilla (clique aqui).

5 de julho de 2009

O drama das cocadas

Minha vózinha linda faz umas cocadas perfeitas, maravilhosas. Eu simplesmente AMO. E, sabendo dessa minha paixão, ela criou o hábito de me dar cocadas de presente em momentos especiais (hummm...só de pensar fica com água na boca). A última vez que ganhei as cocadinhas foi antes de vir para Dubai. Minha vó preparou várias e meu deu, 1 semana antes de eu viajar.
.
Guardei a 7 chaves e só dei umas poucas para a família do meu marido. O resto guardei para comer aqui, para me ajudar a combater a saudade ;)
.
Quando meu marido descobriu meus planos, começou: "Você vai levar isso para Dubai?", "Tem certeza?", e repetiu isso umas 100 vezes até o dia do embarque. Na véspera da viagem, meu marido ME PERTURBOU muito na hora de fazer a mala. Dizia sem parar, freneticamente: "Pouca coisa, pouca coisa". Questionava cada coisinha que eu queria trazer, perguntando a utilidade daquilo, blá blá blá (depois dizem que mulher que fala para caramba..rsrs..ele vai me matar).
.
Ele é do tipo que vai para o Brasil passar duas semanas com uma mochila! Apesar de eu não ser do estilo perua, daquelas que leva uma mala gigante para um final de semana, sou mulher, poxa!
.
Como não deveria deixar de ser, ele encheu mais uma vez por causa das cocadas e eu disse que eu ia levar SIM e ponto final. Trouxe 2 malas grandes e 2 pequenas (em uma delas coloquei os docinhos).
.
Já no aeroporto de SP, enquanto aguardávamos o voo que estava programado para 1:25 da manhã, ele avistou um daqueles cartazes que tem no salão de embarque dizendo as coisas que são proibidas e tentou de qualquer jeito encaixar as cocadas em um daqueles itens; Feijão? Não. Grãos e sementes? Não. Objeto cortante? Não. Planta? Não. Derivados do leite? Creio que não (etc). Cansado, ele enfim desistiu...rsrs
.
Embarcamos, tudo ótimo. Tinha um time sei lá de que da Nigéria no voo, vestidos de verdinho como vcs podem ver na fotinho.
.
1:20: nos preparamos para embarcar, tudo perfeito.
.
1:25: nenhum sinal do avião começar a sair.
Achei estranho, pois geralmente esse voo sai na hora.
.
1:50: nada ainda.
.
2:00: o piloto anuncia que eles estão com problemas e que vai demorar.
Comecei a ficar meio preocupada, pensando o seguinte: quando a gente despacha a mala, eles não fazem raio-x na hora. Quando fazem? E se tiver algo proibido, o que acontece?
.
2:10: o piloto anuncia problemas na BAGAGEM e diz que vai demorar.
Hã????? MEU DEUS. As cocadas. Na hora, não comentei nada com meu marido, óbvio. Mas comecei a ficar super nervosa pensando que as cocadas eram o pivô da situação. Na minha cabeça, passava a cena deles abrindo a minha mala, com cachorros, e achando o potinho com as cocadas.
.
2:30: nenhuma novidade.
Cada minuto que passa fico mais tensa. Meu pensamento vai mais longe e visualizo os agentes da polícia federal entrando no avião e pedindo para eu acompanhá-los. Nisso, o time da Nigéria todo querendo me "juntar" por eu ser o motivo de horas de atraso...rsrs.
.
2:40: o piloto avisa em português que a companhia ainda não conseguiu resolver o problema e, portanto, todos terão que sair do avião e identificar suas bagagens.
Aí pensei: eles acharam a cocada, mas não sabem de quem é...Vão ficar ao lado da minha mala esperando eu pegá-la para, a essas alturas, me levar presa. PIOR DISSO TUDO: perder as cocadas e escutar meu marido dizer, para o RESTO DA VIDA, no meu ouvido "eu te disse, eu te disse"...saco!
.
2:42: no mesmo aviso acima, ao falar em inglês, ele já muda, dizendo que resolveram o problema e vamos embarcar!!!!!!
.
UFA!!! Gente, que susto!!! Depois que estávamos voando contei para o meu marido os meus momentos de angústia e ele ficou rindo muito da minha cara, óbvio.
.
Já em casa, fui pegar uma cocadinha e achei o pote mais leve (?!?!?!). Será que...?
.
Ai que saudade!
Bjs, Ju.

1 de julho de 2009

É possível fazer turismo em Dubai no verão?

XXX
Tenho recebido vários emails de brasileiros fazendo a pergunta acima, além de várias outras relacionadas a vir para Dubai a turismo. Por esse motivo, resolvi fazer um post para responder às mais recorrentes; de repente tem mais gente com as mesmas dúvidas ;)
.
No verão (junho/julho/agosto), dizem que os preços dos hotéis caem bastante, pois todo mundo que pode vai embora da cidade devido ao calor.
.
Então, para atrair turistas, eles fazem mil promoções e lançam ofertas atrativas que vão além dos oceanos e chegam nos brasileiros, que tem me enviado emails com as seguintes questões (notem que respondo de acordo com minha opinião; pode ter gente que pensa diferente):

1. Julho é quente, já entendi, mas é insuportável viajar nessa época pra Dubai? Você acha que isso poderia estragar a viagem?
Olha, esse será meu primeiro verão em Dubai. O pior ainda está por vir (julho e agosto), mas já está BEM QUENTE. Além da temperatura subir bastante, a umidade do ar também aumenta, e fica difícil respirar. E TODOS, sem exceção, dizem que vai piorar daqui a 10/15 dias.
Para vcs terem idéia: saio da pós às 22h; sinto uma diferença brusca quando saio do ar condicionado; bastam 5 min para começar a suar às 22h!!! Ontem fomos dar uma mergulho na praia às 19h30 da noite. A àgua do mar estava mais quente do que de hidromassagem...JURO!!! Imagina durante o dia!
.
Pode estragar a viagem? Sei lá, vai depender do gosto do turista. Se a pessoa quer andar de balão (esquece, eles nem operam nesse período), fazer safari, andar no souk, ir à praia, enfim, coisas externas, fica complicado SIM. Agora, se é um turista que gosta mais de conforto, pretende ficar nas piscinas dos resorts da vida, no ar condicionado dos shoppings ou na neve do ski Dubai: tenta a sorte! :)

2. Quantos dias vc considera de bom tamanho para conhecer bem Dubai e adjacências?
De novo, vai depender do que a pessoa queira fazer. Para o meu gosto: em 3 ou 4 dias vc conhece os pontos turísticos de Dubai. Respondi dizendo que não sabia ao certo o que ele chamava de "adjacência". Aqui perto tem os outros Emirados e Omã. Fui a alguns Emirados e para Omã. Não achei muito interessante não (veja bem: do ponto de vista do turista que vem de longe, e não do morador).
.
3. Dubai é um bom destino turístico?
Minha opinião: Dubai é muito legal, tem umas coisas super bacanas, mas ficaria uma viagem mais interessante se o turista encaixasse com algum outro destino. Sei lá: Egito, Jordânia, Turquia, Síria, Tailândia, Austrália, etc. A passagem é muito cara e 2 semanas é muito para cá; vc não vai passar horas no museu ou andando pelas ruas que parecem cenário de filme do século passado... É outro estilo.

4. O que você acha de alugar carro em Dubai?
Sinceramente, não acho necessário. Apesar das coisas serem distantes, os táxis são baratos. Além disso, acho interessante fazer isso quando a pessoa pretende percorrer longas distâncias. Não acho que seja o caso daqui.

5. Na sua opinião, precisamos contratar um guia?
Não. Se você não falar nem bom dia em inglês, pode ser. Mas, se for o caso, aprende as frases básicas e vem.

6. Com esse calor todo andar de short ou bermuda é tolerado?
Eles são bem “abertos” aqui, vamos dizer assim. Short na praia ok, bermuda ok em qualquer lugar, eu diria.

7. É possível tomar sol no Hotel, por exemplo, sem um bando de homens ficar "azarando" minha esposa?
Nunca tomei sol em hotel. Mas tomo aqui no condomínio e ninguém fica azarando não, mesmo mulheres sozinhas...Acredito (suponho) que nos hotéis tb seja assim - tenho uma amiga que vai sempre e ela nunca comentou algo do tipo. Na praia é mais complicado, pq os indianos ficam perturbando. Mas acho que vcs não vão conseguir ir à praia no verão anyway.

8. Vi seu post sobre comidas, Mc Arabia, etc... Pelo jeito o custo do McDonalds é parecido, mas fora isso tem jeito de comer em um lugar mais em conta?
A refeição do Mc custa AED17 (R$9.02); acho que é até mais barato que no Brasil, não? Aqui tem todos os fastfoods que vc possa imaginar, dá para comer mais ou menos barato sim (um prato AED20/30). É possível.

9. O comércio local (principalmente os taxistas) aceitam dólar ou é necessário fazer câmbio ao chegar aí?
As grandes redes aceitam dólar (ex. CARREFOUR). Táxi só em Dirham. Mas é tranquilo trocar, tem casa de câmbio em todos os lugares. No aeroporto, antes da imigração, tem uma, vc pode trocar lá. E a taxa dólar-dirham é fixa e varia pouco entre as casas de câmbio (1 dólar = aprox. AED3.65).

10. Dubai é perigoso? Tem risco de bombas ou coisas do tipo?
Hã???
****
Acho que é isso.
Espero ter ajudado.
Bjs, Ju.

28 de junho de 2009

Explorando os Arredores - Abu Dhabi

xx
Abu Dhabi é a capital dos Emirados e sua extensão territorial representa 80% do UAE. A cidade é bem mais típica (vcs podem percerber isso por meio das fotos) e menos glamurosa que Dubai; todavia, as aparências enganam. Abu Dhabi é bem mais rica e, inclusive, andou emprestando um $$ para Dubai em decorrência da crise.
.
A maior parte desta riqueza vem do petróleo: em 2007, ele foi responsável por 59% do PIB de Abu Dhabi. Não é para menos: 1/10 do petróleo do planeta está lá (reservas provadas).
.
De acordo com a Revista Fortune, no ano de 2007 Abu Dhabi foi considerada a cidade mais rica do mundo (em termos de investimentos - a maioria dos sheikhs, claro): 420,000 mil habitantes e US$1 trilhão aplicados no exterior. Isso significa US$17 milhões/pessoa!

Mais uma coisa interessante: lá estão sendo construídas filiais dos museus do Louvre e Guggenhein.

Essa foto abaixo tirei na estrada, no meio do caminho: não sei exatamente o que é, mas achei o design do prédio bem diferente.

.

.

.

..

.

.

#Sheikh Zayed Mosque: logo na entrada do emirado, esta mesquita é uma das maiores do mundo. Ela estava com várias partes em obra, mas deu para ver que é uma obra bem grande e interessante. É possível visitá-la, mas não esqueça que tem que estar com roupas apropriadas. Para mais detalhes, clique aqui.






.

.

.

.

.

xcccc

#Emirates Palace Hotel: hotel 7 estrelas que disputa com o Burj Al Arab (aquele da vela em Dubai) o título de hotel mais luxuoso e exclusivo do mundo. Infelizmente, não deixaram a gente entrar, então essas foram as "melhores" fotos que consegui.

Eles fizeram uma promoção bacana para atrair clientes: um pacote de 28 dias que incluía, entre outras coisas:
- passagem aérea de qualquer lugar do mundo
- 7 noites da suíte presidencial que tem 680 m2
- chauffeur exclusivo 24h
- viagem de jatinho para o Irã para criar seu tapete persa personalisado (acho que com a confusão política atual essa idéia não seria muito atrativa, né?)
- vários outros paparicos para rico nenhum colocar defeito.


Tudo isso pela super mega bagatela de...US$1 milhão!!! É o pacote de turismo mais caro da história... só aqui mesmo!!! Fiquei curiosa: será que alguém comprou? Bom, num lugar em que alguém paga US$10 milhões por uma placa de carro, o que são US$1 milhão???

.

.

Aqui nos Emirados é muito comum encontrarmos fotos dos principais governantes espalhadas pelas ruas; aqui ao lado tem um exemplo. Nesses locais é impressionante o alto nível de aceitação e adoração da população com relação aos sheikhs; eles admiram seu governante, tem um grande amor por ele, de verdade; e, mais interessante ainda, é que essa adoração se extende a alguns expatriados.