21 de dezembro de 2009

Fazer o bem sem olhar a quem...sempre?


Faltam apenas 4 dias para o Natal. E, já entrando no clima natalino, é que entra a minha pergunta: devemos sempre fazer o bem, sem olhar a quem, sem esperar retribuição?
.
Não estou dizendo que devemos fazer o mal, claro que não. Porém, às vezes temos a chance de fazer o bem para uma pessoa e não o fazemos, por falta de vontade ou por por achar que aquela pessoa não merece; enfim, por uma série de motivos, não fazemos. É assim que deve ser, cada um por si?
.
Essa pergunta anda martelando minha cabeça ultimamente e vou explicar o porquê. Eu me considero uma pessoa que faz o bem para as pessoas, sem olhar a quem e sem segundas intenções (meu marido, que é a pessoa mais sincera que conheço, concordou comigo...rsrs).
.
Então, estou sempre tentando ajudar, na medida do possível, claro. Esse blog já é um sinal disso. Respondo vários emails por mês, alguns deles me exigem pesquisa e mais de uma hora de dedicação...Enfim, não vou ficar aqui listando minhas qualidades (rs), mas o fato é que no geral eu ajudo as pessoas e faço isso pelo simples prazer de ajudar.
.
Tá, e daí? E daí que essas mesmas pessoas que eu ajudo, quando tem oportunidade de fazer o mesmo, não fazem. Elas não são obrigadas, ok. Mas depois disso acontecer repetidas vezes começo a me perguntar se EU devo continuar ajudando tais pessoas. Devo?
.
Sei que devemos fazer o bem sem esperar retribuição, tá certo. Mas continuar ajudando uma pessoa que não me ajudou quando podia me incomoda! Ainda preciso evoluir muito espiritualmente para chegar a conclusão de que esse comportamento é aceitável... e, depois disso, continuar ajudando essa mesma pessoa. Como sou meio bobona, eu continuo ajudando mesmo assim, mas não vou dizer que me sinto totalmente confortável.
.
Imagino que esse tipo de situação tenda a ocorrer ainda mais aqui, onde existem muitas relações baseadas em interesse (de todos os tipos); impressionante. Tolera-se uma, duas; na vigésima, começo a me questionar.
.
O que vocês acham? Também se sentem iludidos quando isso acontece com vocês ou já estão num nível de desenvolvimento superior ao meu e aceitam super bem?
.
Update: minhas conclusões neste post.

5 comentários:

Luciana disse...

Ju, ja escrevi pra você e te enviei e-mail de resposta pela sua atençao e dedicaçao. Você é das poucas que tem a consideraçao de ajudar a quem nem conhece, mas concordando com você, nos devemos sim nos valorizar senao as pessoas perdem o limite e abusam.
Deus abençoe você,

Luciana

Ju (Dubai Verde e Amarelo) disse...

Oi, Luciana, eu sei...rsrs...Você e a maioria das pessoas são educadas e me agradecem sim :)

Pois é, concordo com você, acho que devemos fazer o bem, mas temos que saber os nossos limites, né? Para não nos anularmos... a partir do momento em que a ação não flui, passar a incomodar, os atitudes devem ser revistas, né? ;)

Feliz Natal!

Georgia disse...

Ju, eu acredito que fazer o bem é uma onda. Cada vez que vc faz outras pessoas talvez vao fazê-la tb. Eu acredito que todo mundo faz o bem de alguma maneira e muitas das vezes o bem que ela fez foi o mal para a outra. Depende de tantos pontos de vista... Mas nao pára, melhor ter a consciencia de que fez o bem do que nao ter feito.

E entao, resolveram viajar? Vem. Vai ser uma experiência diferente. Pena ser tao longe de mim.

Desejo a vocês uma ano novo abencoado.

Beijao

jheck disse...

oiiii flor.....acho que devemos fazer o bem sempre e sem intencoes mesmo, fazer de coracao, aquilo que vc disse que o universo da o troco é muito verdadeiro!!! Entao agir com o coraçao eh sempre a melhor opcao.
bjoooo

Ana Kelly disse...

Olá Ju, td bem??
Pois é, até agora n consegui parar de ler seus post´s (sempre mto interessantes) :).
Bem, na minha opnião (se vc quer saber, rsrs...) não acredito mto em ações altruístas, vou explicar. Se eu faço o bem e não importa a quem e pensa q nada recebe em troca, não acho mto verdadeiro, pois se o ato de ajudar me fez sentir bem, logo ja recebi em troca a alegria de ter feito algo bom. Fato é que mtas vezes fazemos coisas pra ajudar e não necessariamente nos deixa mto feliz, mas fazemos no intuito de ajudar, e merecemos destas ao menos um pouco de consideração. Pois acho que não nascemos apenas pra servir. Acredito mto em energias (positivas e negativas), e que na vida td vem e volta de certa forma (se vc faz o mal a alguem por ex; não espere q necessariamente essa pessoa te faça mal, mas um dia aquilo que vc fez vai ter volta; é q aquilo de "aqui se faz, aqui se paga"!!) Então acho que podemos fazer o bem até onde isso nos faz bem. Salvador foi só Jesus, que deu a propria vida para nos salvar (e deveríamos seguir seu ex., mas na real não é bem assim), e apesar de gostar mto de ajudar as pessoas MSM, não me sacrificaria a ajudar se isso não me fizesse bem (com exceção dos meus filhos, que por eles eu perco até a razão!!:) isso é amor incondicional). Amemos o proximo como a si msm, ok?! Se eu não desejo o mal pra mim, pq faria algo aos outros (bom ou ruim) q consequentemente me fizesse mal?!?! Enfim, é td mto questionavel, mas repito; não acho que nascemos apenas pra servir, logo, merecemos no minimo um pouco de consideração pela parte do outro a quem nos dispomos a ajudar!! É essa minha opinião!

xoxo